[ RESENHA ] Dias de Sangue e Estrelas - Laini Taylor



Série: Feita de Fumaça e Osso #2
Classificação: Young Adult
Gênero: Sobrenatural
Editora: Intrínseca
Páginas: 448
Nota: 5.0/5.0






Sinopse:

Karou, uma estudante de artes plásticas e aprendiz de um monstro, por fim encontrou as respostas que sempre buscou. Agora ela sabe quem é - e o que é. Mas, com isso, também descobriu algo que, se fosse possível, ela faria de tudo para mudar: tempos atrás Karou se apaixonou pelo inimigo, que a traiu, e por sua culpa o mundo inteiro foi punido. Na deslumbrante sequência de Feita de fumaça e osso, ela terá que decidir até onde está disposta a ir para vingar seu povo. Dias de sangue e estrelas mostra Karou e Akiva em lados opostos de uma guerra ancestral. Enquanto os quimeras, com a ajuda da garota de cabelo azul, criam um exército de monstros em uma terra distante e desértica, Akiva trava outro tipo de batalha: uma batalha por redenção... por esperança. Mas restará alguma esperança no mundo destruído pelos dois?  " 

Bom gente, por se tratar de uma continuação de série, não vou fazer aquele resumo da história como de costume. Eu comprei esse livro na euforia para saber o que iria acontecer, e agora estou ansioso pelo último da trilogia que já foi lançado lá fora.

" Era uma vez um anjo e um demônio segurando um osso da sorte, que, ao ser partido, dividiu o mundo em dois. " 
Pag. 9

A narrativa de Laini é um luxo a parte, completamente intrigante e fluída. Confesso que ao iniciar a leitura do livro, eu não me animei logo de inicio e acabei parando por um tempo. Apesar da história seguir exatamente de onde tinha parado, o inicio é super lento e nada de muito importante acontece. Temos uma mudança muito grande no rumo da narrativa, Karou está em outros lugares e de volta ao seu povo. O que de certa forma não é muito bom, apesar de ela estar lá por um único e especial motivo, não é considerada bem vinda, o que torna sua situação bastante complicada.

Os personagens nesse livro tiveram um grande amadurecimento, Karou agora tem praticamente duas vidas em um único corpo, duas almas, dois seres. É complicadíssimo voltar a imaginar como era sua vida no passado, e o que ela está vivenciando no momento. Ela amadureceu bastante devido as coisas que aconteceram, e quando sua vida faz um giro de 360º é difícil se manter em pé, mas ela luta contra si mesma para conseguir.

" Há intimidade na dor. Qualquer um que já confortou alguém que estivesse sofrendo sabe disso: a ternura impotente de quem consola, o abraço, os gemidos e o lento embalar, quando dois se tornam um contra o mesmo inimigo, a dor. "
Pag. 65

Com Akiva não foi diferente. Todas as suas ações resultaram em várias consequências. Akiva está em conflito consigo mesmo, mais atormentado do que nunca, a culpa o corroí por dentro e apesar da dor ele sabe exatamente o que fazer com ela. Nesse segundo livro dessa série, temos uma visão muito mais ampla dele, não apelas aquele anjo perfeito, que emanava chamas por onde passava. Temos contato com um lado muito mais humano, sentimental e racional. 

Os personagens secundários são outro ponto chave da história de Taylor. A tensão que a história tem seguido é bem grande e a autora soube dosar todo esse drama e aflição com os divertidíssimos capítulos de Zuzana e Mic. É impossível não rir e se divertir com esses dois. Zuzana é de longe a minha personagem favorita do livro, sarcástica e impulsiva e Mic é o par perfeito pra ela. Temos também uma vista muito mais ampla de outros personagens que podem vir a ser importantes no decorrer da história e também conhecemos um pouco mais dos irmãos de Akiva, do exército celestial e do Lobo.

" - Não deve ser boa coisa - reconheceu Mik;
  - Pois é. Afinal, eles ainda estão juntos? Ela falarida dele, não é?
  - Bem , sim. Assim como você conta a ela tudo sobre mim, todas as coisas engraçadas que digo, e como fico mais bonito e inteligente a cada dia. Com emoticons e tudo... "
Pag. 92

A narrativa em terceira pessoa de Taylor é essencial para tudo que ela pretende fazer com essa história. Os pontos de vistas são alternados entre diversos personagens, sendo assim o mundo criado por ela é explorado em diversos pontos. Várias histórias paralelas estão sendo contadas ao mesmo tempo, e todas tendem a se encontrar em um determinado ponto. Taylor não deixa pontas soltas, tudo é muito bem amarrado e construído, nada é por acaso.

O rumo que a história está seguindo, vai levar a uma conclusão épica. Eu não consegui prever de forma alguma a onde a autora estava me levando durante a leitura. Ela soube me surpreender em cada momento, em cada parágrafo e em cada diálogo.

O gancho deixado para o terceiro, e último livro da trilogia é de deixar qualquer leitor louco! Não vejo a hora da intrínseca lançar a continuação. Sobre a edição, não tenho muito o que reclamar, a diagramação está ótima, a capa segue o padrão americano e não encontrei erros de revisão.

Se você ainda não começou a ler essa série, leia! Você não sabe a maravilhosa história que está perdendo.

Bom gente é isso. 
See you later folks!